segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Cartas à Daniel I

Querido Daniel;

É esse um dos momentos que eu gostaria que nunca chegasse para nós dois: o dia da eterna despedida.
Dan, sei que você detesta isso, sei também que você odeia essas coisas de  luto tardio, mas sei que também é do teu conhecimento o meu verdadeiro sentimento por ti. Sabes pois tu me conheces profundamente.
Lembro de nossos bons momentos, de violão e poesias, de revoluções e lágrimas, de  prantos e gargalhadas.
Nunca houve entre nós separação...
Seguistes com uma corda amarrada no pescoço. Ela era invisível. Eras infeliz e eu sabia. Eu sabia mas confiava em você.Nunca imaginei.

Fostes um dos meus grandes amores. uma paixão desvairada, traduzida em um elo de amizade profunda e verdadeira.

Agora te perdi pra sempre.
Aceito, pois sei que Deus te levou por que aqui já se findaram tuas missões.

Saudades eternas amigo poeta.

"Comece no início. Caminhe. Termine quando chegar ao final" - Alice no país das maravilhas

p.s.: Não acredito que os suicidas vão pro inferno e que lá ficam sem cabeça (você sabe que não aceito essa idéia de inferno de fogo e coisa do tipo).
Deus perdoa a todos e ele sabe dos motivos reais.



Beijos de sua amiga; Amanda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário