terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Homenagem póstuma - Seria cômica se não fosse real

Em uma gélida noite de quarta feira, juntou todos os seu poemas e composições.Queimou-os.
Pôs o violão em cima da cama milimetricamente arrumada. Gravou vídeos dedicados a alguns amigos enviando-os por e-mail.
Entre lágrimas escreveu pela última vez.
Redigiu duas cartas: uma para os pais e outra dedicada aquela que amava.
Eram cartas de justificativas para o ato que viria a seguir.
Como de costume, telefonou para a sua amada, pediu que ela o ouvisse com atenção. Relembrou os bons momentos vividos pelos dois.
Despediu-se com a seguinte frase: " Eu te amo pra toda a vida (entre risos) e até depois dela."


Desligou.
Sozinho,sentou-se no chão do quarto. Olhou fixamente pr'aquele monte de ferro fundido.
Apontou a arma para si.
Disparou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário