terça-feira, 15 de março de 2011

Casus Belli

Dedicado à  Fernanda que me pediu
para que escrevesse algo sobre ela. Aqui vai 
uma de nossas últimas conversas via MSN.

   Não foram poucas as minhas ilusões. Não foram poucas e elas com certeza não vão me abandonar tão cedo. Mas, o que me mata não é a desilusão em si, é a mentira. 
    Declaro guerra contra a mentira diariamente. As pessoas me olham e mentem sem pudor nenhum. Tenho cara de idiota por acaso? E eu vou me deixando levar pelas barbaridades que me falam, finjo acreditar em tudo só para ver onde o embuste chega. Em alguns casos vai longe. Em outros eu não aguento tanta embromação e rodo a baiana no terreiro.
    Fico chateada com isso, chateada não, fico possessa. Não seria mais fácil o canalha olhar na minha cara e dizer: eu quero transar com você. Aí fica com essa invencionisse, cheio de poesia... por favor... se ele dissesse a verdade até que eu poderia pensar em ir pra cama com ele, mas assim, juro que tira até a vontade.
      Dizendo a verdade a gente ganha o mundo de uma forma que ninguém pode mais tirar. Com a mentira conquistamos muita coisa, mas tais coisas nunca serão nossas para sempre.
      Aprendi isso com minha avó materna. Sábia mulher que me inspira.
      Não admito mais a hipocrisia da mentira, Casus Belli a ela.

"Non mos ad vitam, sed consuetudo probanda." 

Um comentário: