quarta-feira, 16 de março de 2011

Orgulho







Não se vista
para outra traição,
De que adiantou a conquista
Se tu não mereces perdão?

Largue a minha mão
Não sou mais aquela que te amou.
Não vou viver de ilusão
pensando no que já passou.

Para ti
Minhas melhores poesias escrevi
Mas achastes por bem meu coração partir.

Esqueci das flores,
Do luar das noites,
Lembro-me apenas desse açoite
E sinto as dores desses cortes.

Os acordes se perderam
Quebraram-se os cristais,
As rimas se despediram
E avisaram que não voltarão mais.

Desejo que não te falte amor
Não te quero mal, mas não te quero bem
Que teus dias se pintem de cor
Pois também vou procurar outro alguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário