domingo, 24 de abril de 2011

A beleza de ser livre

Eis a grande beleza de ser livre. Mulher solitária, porém, jamais abandonada.
Que fica à vontade com alguns goles de vinho e tem bem definida a sua sexualidade. Pinta de erotismo seus contos e acha o sexo a coisa mais natural da humanidade. Não banaliza o amor nem os demais sentimentos, mas acha sempre um bom motivo racional para não deixar-se submeter e para que não fique vulnerável ao sofrimento.
Fala com espíritos, acredita na existência de um mundo paralelo.
Ela acredita que a morte não é o começo, nem o meio nem o fim; é coisa qualquer como doença ou uma viagem que a gente faz antes de voltar pro nosso ponto de origem...
Às vezes a tristeza bate, às vezes é uma alegria súbita que pode durar muito ou pouco; mas o que seria das poetisas e escritoras se não houvesse esse humor bipolar?
Gosta de mato, e de gatos e de cachorros. Gosta do cheiro da lama, da chuva e da poeira. Deleita-se com a beleza dos lírios que brotam da terra que ela mesma cultivou.
Tem o pensamento forte, opinião própria, autonomia, independência e valores femininos que ninguém pode usurpar.
Depois de muito matutar, ela descobriu que a melhor amiga é a poesia, os melhores amantes são seus livros e os melhores prazeres realizados vem de seus versos. Que mais ela poderia desejar?
Pensem o que quiserem pensar dela; ela não considera tanto a opinião alheia. Podem criticá-la, podem tentar censurá-la, mas essa voz que vem das palavras escritas  na pauta de um caderno com as letras desenhadas em vermelho jamais poderá ser calada por muito tempo.
Ela ainda espera por uma qualquer coisa que entre pela janela do quarto pintado de sol, e que essa coisa mude o destino do universo.
A chamem de louca, mas ela não passa de uma visionária. A chamem de pornográfica, mas ela é apenas um ser sexuado; assim como todas as mulheres deveriam ser.
Alguns não nasceram para entender a beleza das palavras, e acham mais fácil criticar as verdades que saem das frases e versos de certas escritoras.
Tentam aprisionar as poetisas. Tentativa que é falha, pois, todas nós nascemos para a liberdade. Liberdade ideológica, comportamental e sexual.

Poetisas, levantem-se de suas covas e pintem o mundo de cor de rosa.



Amandha di Souza
Poetisa em formação...

Nenhum comentário:

Postar um comentário