terça-feira, 5 de abril de 2011

Carta de Despedida

Tu, que antes fizestes esquentar meu corpo, deste-me agora a fórmula para esfriá-lo.
Meu coração desvairado que antes sabia apenas te amar odeia-te sem nenhuma dúvida.
Mas, apesar desses sentimentos todos homegenizados na alma, deixo um pedacinho do meu coração reservado, cheio de esperança; esperando o teu regresso a mim.
Queria aconchegar-te em meu seio; fazer-te abrigar em meu colo...queria fazer do teu beijo salvação.
Mas, não quero manchar tua vida, tua reputação... tampouco desfazer-me assim, tão facilmente de meu decoro.
Se tens outra na tua vida, desejo que sejas feliz (ou tente ser) com ela. Não posso (e nem quero) competir com ninguém pelo teu amor.
Querido, quando existem competições ambas as partes ficam com migalhas. Migalhas não me satisfazem.
Por isso, venho a ti pela última vez. Não quero mais te ver, nem te ouvir. Adeus meu amor, saibas que depois destas linhas nunca mais lembrarei de ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário