domingo, 8 de maio de 2011

A família que tenho... Minha mãe...

Eu quis escrever algo que pudesse descrever a minha mãe. Não consegui.
Acho que essa é a dificuldade da maioria dos filhos.
É tão difícil a gente conseguir dizer o que sente por uma pessoa que dá tudo pela vida da gente...
Eu não sei e não posso dizer nada a ela. Nenhuma palavra pode ser pronunciada.
Agradeço a Deus todos os dias por Ele permitir que ainda convivamos juntas. E permanecemos unidas apesar dos pesares do dia a dia.

Mulher guerreira, livre e independente.
Foi forte o suficiente para ver a minha avó padecer em seus braços. 
É essa mulher que cuida de mim e da minha irmã; que nos mantem debaixo das enormes asas que tem por muito nos amar.
Que às vezes é menina, adolescente junto com a gente.
É a nossa mãe, nossa rainha, nossa musa... nosso pai, nossa família... ela é simplesmente tudo pra gente.
Nunca nos deixou faltar nada. Nos ensinou que nada na vida se ganha sem esforço e que toda conquista é mérito.

Sempre esteve comigo nos tensos dias das provas do vestibular. Chorava de nervosismo junto comigo. E quando eu gritava de felicidade por ter conseguido o que eu mais queria ela sentou e chorou. Sentiu que parte do seu dever para comigo fora cumprido. Ligou pra metade do mundo dizendo: "Eu tenho uma filha universitária".
Mainha, eu sei que a senhora se orgulhou de mim. Mas eu não digo que o mérito é só meu, pois, foi a senhora que me educou, foi a senhora que sempre esteve presente nos meus momentos... é aquela que grita comigo quando estou errada. É a senhora que me inspira a ser uma verdadeira mulher. 
Tenho orgulho de ser filha da Professora Marinalva; ou Tia Marinalva (para os seus ex-alunos da Escola Dom Bosco e outras tantas nas quais ela trabalhou).

Agradeço a Deus por todos os dias, ter minha mãe me esperando chegar da universidade.; por tê-la ao alcance do meu abraço, por ela ainda lutar por mim. Agradeço a todos os deuses por ela ainda se preocupar comigo, por ela fazer o impossível para que meu futuro seja do jeito que planejo. E é por isso que em todas as minha idas e vindas, nunca saio de casa ou vou dormir sem cumprir com aquele velho costume de pedir a sua bênção, pois não sei quando Deus vai dar a minha rainha o seu trono; também não sei se um dia posso sair e não voltar mais. Eu só quero que ela saiba que eu tenho o maior amor do mundo por ela.

Mainha... Nós te amamos!

Andresa e Amanda.



Dona Marinalva cuidou (cuida) de nós duas sozinha. Nos ensinou a sermos independentes.
Não pense o mundo que a família é composta por pai, mãe e filhos. A nossa família é formada por nós três.
Tenho orgulho de minha mãe por ela ser a chefe da nossa casa.

Um comentário:

  1. Querida Amanda,
    Adorei sua homenagem. Nada melhor do que falar da própria experiência, do que partilhar os próprios sentimentos. Um abraço grande para sua mãe e pra você.

    ResponderExcluir