quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Vida: Pessoal e Intransferível


Durante esta semana encontrei pessoas "diferentes" do "habitual" e, com elas tive conversas realmente sinceras e maduras.
Pensei nas pessoas que tem bulimia, nos gordinhos, nos gays, nos rockeiros, nos tatuados, nas pessoas que professam outros credos...
É muito difícil colocar tudo o que penso e sinto em relação a isso num texto... São muitas coisas, muitos tabus a serem desmistificados. 
Só sei que estou mal por uma coisa que ouvi no ônibus quando eu voltava para casa hoje. No ponto estavam duas meninas rockeiras. Uma tinha os cabelos vermelhos, usava botas, saia curta e uma meia rendada. A outra tinha longos cabelos cacheados, calçava um All Star, também estava de saia e de blusa decotada. Usavam maquiagem escura  e ambas estavam de preto. Conversavam entre si, não incomodavam ninguém, exceto todo tipo de gente pequena de espirito que passava por lá.
Alguns olhavam as duas dos pés a cabeça e saiam comentando uma qualquer coisa que eu imagino muito bem o que era. Outros fingiam que não viam mas nem por isso deixavam de criticar. O que me deixou indignada foi o comentário de um cara que estava ouvindo a Tarrachinha no alto falante do celular:
            -Que coisa ridícula meu véi! Oxi, meu irmão isso é muito feio, olhe mermo, duar minina até bunitinha mai andano que nem duar palhaça no mei da rua. Se fosse filha minha dava era uma camada de pau.
Este sujeito tem alguma coisa de normal? Que autoridade esta criatura tinha para falar das duas meninas que não estavam fazendo nada com ninguém, logo ele que estava incomodando a muita gente (pelo menos a mim) com aquele gênero musical do qual muitos detestam?
O ser humano pouco evoluído é muito irônico mesmo...
Outra coisa que me chamou atenção foi quando eu vinha andando numa rua do meu bairro. Um homossexual passou na frente de uma lan house quando dois acéfalos disseram:
(acéfalo 1): - Boy, tu não disse que viado não passava na tua frente?
(acéfalo 2, falando alto): - Ei viado! Tu num passa aqui mais não visse porque eu não gosto de fresco.
Eu não entendo o que as palavras viado e fresco significam nesse contexto. 
Que graça tem o insulto? Qual é a sensação que se sente ao criticar o outro apenas por ele ser diferente de nós? É algo que vale a pena?
Eu sofri bulling. Ouvia piadinhas na escola todos os dias. É horrível.
Tenho um amigo gay que é formado em direito. Ele não deixa de ser competente por ser gay.

As críticas podem se tornar um verdadeiro tormento. E é assim que vários adolescentes se entregam às drogas, se suicidam ou deixam de buscar a sua autentica felicidade. Isso me preocupa.
Tantos meninos magrinhos querem ser musculosos devido ao esteriótipo do "ser bonito"...
Tantas meninas gordinhas almejam ser uma Gisele...
Tantos homens casam com mulheres e mantem relacionamentos homossexual pelo simples fato de não querer assumir sua opção porque a sociedade não entende.

A vida é pessoal e intransferível. Eu tenho minha vida e isso já me contenta! Não preciso me preocupar com o que o outro faz ou deixa de fazer... o outro é que faça da vida que ele tem o que ele bem entender.
O grande mal do ser humano é ele próprio.
Só queria compartilhar esse meu sentimento com vocês e deixar uma mensagem da Lady Gaga (o ícone do diferente), apesar de não ser muito fã de suas performances.






Minha mãe me dizia, quando eu era jovem
Que nós nascemos como super estrelas
Ela arrumava meu cabelo e me passava batom
No espelho de seu vestiário

"Não há nada de errado em amar quem você é"
Ela dizia, "Pois Ele te fez perfeita, querida"
"Então levante sua cabeça, garota e você irá longe
Ouça-me quando eu digo"

Eu sou linda à minha maneira
Pois Deus não comete erros
Estou no caminho certo, baby
Eu nasci assim

Não se cubra de arrependimentos
Apenas ame-se e você estará bem
Estou no caminho certo, baby
Eu nasci assim
(...)




 Até o próximo post!

Um comentário:

  1. sabe que eu tb me sentiria assim se fosse comigo? de verdade e de novo encontro em vc outro ponto em comum, nem tão legal assim, eu sei mto bem o q as crpiticas fazem com as pessoas, eu tb sofri bullying na escola e só quem passa por isso sabe pq usa uma arma carregada tirando a vida de "inocentes" - NÃO Q EU ESTEJA JUSTIFICANDO O CRIME, A NINGUEM É DADO O DIREITO DE TIRAR A VIDA DE OUTRA PESSOA, MAS AS PRÓPRIAS PESSOAS FAZEM COM Q ISSO ACONTEÇA.

    ResponderExcluir