quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Minhas Bodas de Porcelana.


Eu deveria me importar mais. Não sei porque, mas acho isso.
Não é qualquer pessoa que faz vinte anos no exato dia em que tudo vai lembrar uma pessoa que merece ser esquecida.
Eu deveria estar chorando; bebendo ou limpando a casa. 
Eu deveria me importar mais com o fato de estar envelhecendo, deixando que pedaços de mim caiam pelos caminhos onde ando.
Eu nunca me senti tão insegura como estou me sentindo agora. Eu nunca tive tanto medo do amanhã. 
Vou fazer 20 anos, e o que isso muda no destino do universo? Isso vai influir em alguma coisa?
Acho que não.
Não vou esperar mais de 5 sms no meu celular. Sei que não vou atender mais que 4 ligações e que vou receber uns 8 recadinhos no orkut. Quero me poupar de possíveis decepções.
É só uma data a mais no calendário, um dia a mais na vida das pessoas.
Eu não quero sair, não quero cerveja, vinho, pizza, música... Eu me quero de volta para mim.
Eu quero o advento de minha alma. Quero meus risos sinceros.
Quero me afastar daquilo que me faz mal, de todas as pessoas que contribuíram no planejamento da minha desgraça dois meses atrás.
Eu deveria me importar, mas parece que todos esses fatores não me atingem mais.
Estou com medo do que pode estar acontecendo comigo sem que eu perceba.
Acho que coloquei meu coração dentro de uma caixa, enterrei e concretei; só para seguir o script da minha vida do jeito que eu quero que seja.
Fui uma grandessíssima idiota gastando meu tempo com ele.
Hoje não procuro mais entender porque eu não me importo com o fato de ter sido deixada pelo meu primeiro cara nas circunstâncias pelas quais eu fui obrigada a passar.
Alguns fantasmas dele ainda me assombram. Eu os exorcizo todas as manhãs.
E vou me afundando nos meus fetiches, nos meus copos, nos meus livros na tentativa de me libertar dessas coisas que me massacram... 
Eu deveria me importar mais com as vozes, mas... Hoje, às vésperas das bodas de porcelana que brindarei domingo comigo mesma, não consigo mais me incomodar com palavras pequenas e fora de contexto.
Será que eu cresci? Será que estou amadurecendo?
Não sei...
Só tenho a certeza de que não me importo mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário