sábado, 22 de outubro de 2011

Quero deixar clara aqui minha indignação.
Moro perto de uma Igreja (católica) e não aguento mais tantos hinos de louvor ao tal senhor.
Sério. A estas horas eu deveria estar prestando Enem, mas minha semana vai ser um inferno. Tenho um seminário para apresentar na terça, um estudo dirigido e um debate na quarta, e um artigo (que está longe de ser concluído) para entregar na sexta.
Estou cuidando de 3 filhotes de cachorro de um mês e alguns dias que fazem xixi na casa inteira e eu não consigo parar de limpar.
Não aguento mais escutar o brega que vem da casa da vizinha, não suporto mais a tal igreja e o povo vagabundo que vem para os grupos de jovens conversando abobrinha aqui na frente.
Não adianta reclamar. Se você for na gentileza eles dão uma de desentendidos. Se você for esculhambando eles ficam zoando com a tua cara. Estou pensando seriamente em dar um banho em todos eles de mangueira.
Não consigo me concentrar, não consigo escrever uma linha sequer pro meu artigo.
O jeito vai ser passar a madrugada acordada.
Freud, Reich, Foucault normas da ABNT, coisas específicas a educação do campo, MST, mainha doente... Tudo isso no meu juízo e ainda tenho que aguentar esse povo que não faz nada da vida e que resumem a sua existência a viver escondidos dentro das igrejas a falar da vida alheia.
Quero um quarto com isolamento acústico.
Bem que o volume desses amplificadores de igreja poderiam limitados, mas eu penso que tudo isso poderia ser pior se eu morasse perto de uma daquela igrejas pentecostais que os caras passam o dia inteiro gritando Aleluia e tirando o demônio do corpo dos outros.
No mais, agora vou tentar tirar educadamente esse povo da minha calçada e ver se dá pra continuar lendo pro meu artigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário