sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Saudades do Lyceu Paraibano...

A saudade me atacou. Me agarrou num golpe baixo.
Há alguns minutos atrás estava eu, teoricamente sem nada pra fazer, fuçando a vida alheia no Orkut.
Visitei o perfil de uma amiga que estudou comigo no Lyceu Paraibano em 2008. Por coincidência do destino, quando olho para os quadradinhos dos amigos dela acho minha melhor amiga daqueles tempos: Valéria.
Perdi contato com Valéria em 2009, quando saí do Lyceu e comecei no vocacionado pra valer mesmo.
Abri o perfil de Valéria e comecei a chorar loucamente.
A frase de perfil diz que agora ela tem uma filha: Esther Mayanna. Também descobri que ela está morando no Rio de Janeiro.
Quando eu vi a foto dela e abri o perfil tive a esperança de marcar um encontro pra gente colocar o papo em dia, mas... Parece que não vai acontecer tão cedo.
Mandei um convite e vou esperar pra ver se ela aceita. Vi que a última atualização dela foi no dia 8 desse mês.
Como eram bons aqueles dias... Como era boa a nossa amizade... Queria muito voltar a ter contato com ela, saber como ela está, o que aconteceu na vida dela e porque ela foi pro Rio se ela gostava tanto de João Pessoa.
Eu, acostumada com o cabelo ruivo dela e com o rosto sempre bem maquiado me surpreendi com o olhar abatido, com o cabelo loiro e o rosto sem maquiagem.
Queria tanto dar um abraço nela... Chorar junto com ela como a gente fazia.
Lembro que quando eu entrei na experiência do vocacionado ela me disse: Deixa de invenção Amanda! Tem tanta coisa pra viver no mundo e tu vai se enfiar num convento! eu sei que tu vai desistir dessa ideia.
Saudade dela, dos conselhos dela, das conversas, dos desabafos e das aulas que a gente queimava pra ir pro cinema no Tambiá.
Saudade do Lyceu, dos amigos daquele tempo, das tardes, das manhãs no cursinho, dos professores queridos. Saudade de deitar na grama bonita que tinha na pracinha, de cantar reggae com Natanael, dos sorrisos com Luciana Magna, Luciana Souza, Paulinha, Lúcia, Damiana, Pollyana, Tatiana, Kennedy, Augusto e outros que não lembro agora mas que foram tão importantes... 
Saudade maior da minha amiga Val...
E eu continuo a chorar, torcendo pra que ela mande nem que seja um sinal de fumaça do Rio de Janeiro pra cá...
Saudades...

2 comentários:

  1. Pense como eu também sinto saudades do meu tempo de escola. Era tam bom.

    ResponderExcluir
  2. Acho que todo mundo tem um pouquinho... principalmente quando a gente se relaciona fortemente com as pessoas.

    ResponderExcluir