sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Enquanto isso...

Não concordo com muita coisa dessa tal de Educação do campo.
Nem sei como é que fui parar nesse curso de Pedagogia do campo.
Para uma graduanda do terceiro período tô é muito besta e critico de mais; mas é porque eu não vejo tanto futuro assim.
Corrigir caderno de criança, alfabetizar adultos, tudo isso é lindo, mas não quero morrer fazendo isso.
Alfabetizar adultos, passar meu final de semana corrigindo atividade, planejando aula... Isso era coisa que eu fazia desde os 17 quando ainda estava no ensino médio.
Agora que estou na universidade não me contento mais com isso. Até porque antes de ser universitária eu já tinha marcado a ferro na cabeça que não queria o mesmo destino que a minha mãe. Eu pensava em ser uma historiadora.
Sempre tive uma paixão inexplicável pela história e queria meu diploma na área.
Um belo dia de 2010, antes de ir dar minhas aulas num asilo de idosos, (sendo paga pela prefeitura com míseros 250 reais) decidi que queria fazer vestibular pra história.
Com tanta correira e falta de atenção acabei perdendo o prazo para as inscrições do PSS da UFPB. Fiquei puta comigo, aí desisti  e nem liguei mais com isso até que uma noite, o professor de Química me procurou e perguntou se eu já tinha feito a inscrição pro Enem.
O relógio marcava as 20 horas do último dia de inscrição.
Corri pra Lan house que tinha na frente do colégio e fiz minha inscrição.
Eu trabalhava o dia inteiro e estudava à noite. Chegava em casa tarde e exausta e não tinha mínima vontade de revisar as matérias para o Enem.
E assim fui seguindo até que chegou o dia da prova. Eu tinha absoluta certeza de que não iria passar.
Fiz as provas, uma redaçãozinha mixuruca e esqueci daquilo.
Um amigo meu me perguntou sobre os meus resultados no Enem. Dei meu CPF e minha senha e mandei ele procurar. Ele viu, somou as notas e me esculhambou quando eu disse que não tinha ainda me inscrito para o SiSU.
Fiz minha inscrição no SiSU para História e Psicopedagogia. Fui acompanhando as notas dos outros inscritos e no terceiro dia mudei minhas opções para Psicopedagogia e Pedagogia. No penúltimo dia para o encerramento das inscrições inverti minhas opções, ficando assim Pedagogia e Psicopedagogia.
Primeiro lugar pra Pedagogia e 19º em Psicopedagogia.
Fui fazer minha matrícula para pedagogia e por um infortúnio fui parar no curso de pedagogia do campo.
Não gosto do curso e pensava,até ontem em mudar para Filosofia.
Ontem um ex-professor meu de Inglês, o tão conhecido Ramos (conhecido por seus palavrões e por dominar francês, inglês, alemão, espanhol, um pouquinho de chinês e outras línguas) me mandou um simplório recadinho pela minha mãe:
Diga a Amanda que mande o povo ir tomar no c* que quem se fod* pra estudar é ela. Diga a ela pra terminar esse curso e botar pra f*der em quem quer que seja. Eu me fod* no curso de inglês. Tinha disciplina que eu não gostava e ficava a aula todinha batendo o pé dizendo miser*, um dia eu me vingo. Só tinha umas merdinhas do c* doce na minha sala, eu aguentei os quatro anos e no dia da formatura mandei tudo tomar no c*.

Se eu sobrevivi um ano, sobrevivo a mais quatro.
Vou terminar, fazer tudo direitinho, como manda o figurino e é claro, seguindo os conselhos do professor Ramos.
Enquanto isso vou estudando, estudando, estudando e mandando muito gente à merda.
(só tô tendo essa coragem por ter muita gente boa do meu lado).
Agora vou me esforçar para ler um livro sobre os conflitos territoriais e o MST.

4 comentários:

  1. Olá Amanda, me identifiquei muito com seu texto, me enxerguei nele muitas vezes, e por isso resolvi fazer um comentário de forma diferente, fiz um texto-carta e publiquei no meu Blog dedicado também à você, espero que goste... segue o link do post:
    http://lehistory.blogspot.com/2012/01/texto-carta-em-homenagem-bedky-hendrick.html

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, nega... o que dizer sobre isso? Comecei o curso de letras entusiamada pq amo literatura mais do que muitas coisas nessa vida, mas ela não tem lugar nas salas de aula por aí... O jeito é fazer outra coisa da minha vida, se não, enlouqueço rsrsrs. Entendo bem o que é estar fazendo algo no qual a gente sabe que não quer pra vida toda. Aliás, é muito difícil saber o que se quer pra vida toda. É quase um pena perpétua que você nem sabe se vai conseguir cumprir.

    ResponderExcluir
  4. Oi Amanda!... Já vi q vc tb é uma Blogueira de mão cheia... Vou segui-la.. e a respeito do post, eu to entrando agora nesse mundo academico e não sei por onde começar, sei que vou encontrar pessoas boas e não tão boas assim, mas o desafio sempre vai existir, isso é bom para qem gosta de vencer! como vc e como eu é claro...rs... é como vc mesmo disse: "só tô tendo essa coragem por ter muita gente boa do meu lado"... é isso que nos move a seguir adiante, são as pessoas que nos querem bem q nos fazem seguir adiante sem medo de cair...

    Parabens pelo blog...bjin!

    www.jaylsonbatysta.blogspot.com

    ResponderExcluir