quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Qual o seu gosto na literatura?

Foi esta a primeira pergunta que a professora de Didática fez quando entrei na sala de aula.
Entrei em pânico.
Que resposta eu daria para aquela mulher que parecia a Dona Eulália da novela Lado a Lado com o cabelo e maquiagem da Dercy Gonçalves.

Era um dinossauro em forma de professora. Um fóssil vivo naquele sapato preto e saia abaixo do joelho.
Que diabo de pergunta é esta Ogum?
Tremi. Eu poderia dizer aquela criatura que eu me interesso demasiadamente por literatura feminista e filosofia? Na certa eu ficaria marcada eternamente na disciplina daquela brucutu.
Daí meus colegas de classe começaram a citar autores, dentre eles: Piaget, Paulo Freire, Freire, FREIRE. Paulo, e assim por diante. Alguns foram de encontro aos gêneros: ficção e romance.
Ninguém, absolutamente ninguém fora além daqueles que são esperados. Apenas uma alma citou Freud.
Minha hora de falar estava chegando... Eu já tinha até decorado o que eu ia falar. Ela olhou pro relógio e liberou a turma. Não tive a oportunidade de partilhar um pouco da minha literatura... Fiquei triste.
Queria tanto falar de Sartre, Beauvoir, Beiriz, Machado de Assis, J.R.R.Tolkien, Elisa Lucinda, Fernando Anitelli... Coisas tão diferentes no meu curso de pedagogia camponesa...
Não tive a chance. Fui censurada bem na minha vez de falar! E nunca mais tive aula com aquela criatura. (Para glória dos deuses)